20101030

O Rosário e a Meditação da Palavra de Deus

30.º Dia do Mês do Rosário


Em nome do Pai
e do Filho
e do Espírito Santo. Ámen.

«Deus, vinde em nosso auxílio. Senhor, socorrei-nos e salvai-nos.»


Na recta final desta caminhada, depois de já muito ter sido reflectido, meditado, rezado, partilho em jeito de síntese:

O Rosário é uma forma de oração muito antiga, usada pelos cristãos dos primeiros tempos.
Desde os monges do oriente, até aos beneditinos e agostinianos, era costume contar as preces com pedrinhas. À sombra dos mosteiros surgiu o Saltério dos leigos. Dado que os monges rezavam os 150 salmos, os leigos, que na sua maioria não sabiam ler, começaram a rezar 150 Pai-nossos. Com o passar do tempo, formaram-se outros três saltérios com 150 Avé-Marias, 150 louvores em honra a Jesus e 150 louvores em honra a Maria.
Aos poucos a devoção foi evoluindo e fez-se uma combinação dos quatro saltérios, dividindo as 150 Avé-Marias em 15 dezenas e colocando um Pai-nosso no início de cada uma delas.
A tradição diz que foi assim revelado numa aparição de Nossa Senhora a S. Domingos de Gusmão, no início do século XIII, como uma arma da fé contra todos os inimigos do cristianismo e para a conversão pecadores.
No século XV incluíram-se as meditações dos mistérios; recentemente foi acrescentada por João Paulo II mais uma meditação, a dos Mistérios da Luz.




«No Rosário, contemplamos Cristo com Maria. É oração marcadamente contemplativa. Aprendemos Cristo de Maria. Configuramo-nos a Cristo com Maria. Suplicamos a Cristo com Maria. Nunciamos Cristo com Maria. Pois os Mistérios de Cristo são os Mistérios da Mãe:

MISTÉRIOS DA ALEGRIA: 1. Anunciação do Arcanjo a Nossa Senhora; 2. A visita a sua prima Isabel; 3. O nascimento de Jesus em Belém; 4. Apresentação do Menino Jesus no Templo; 5. Encontro de Jesus no templo entre os doutores da Lei.
São Mistérios da Mãe com Jesus.

MISTÉRIOS DA LUZ: 1. Batismo de Jesus no Rio Jordão; 2. Nas Bodas de Caná, Jesus transforma a água em vinho; 3. Anúncio do Reino de Deus e convite à conversão; 4. A transfiguração de Jesus no Monte Tabor; 5. A Insituição da Eucaristia.
Sempre a Mãe acompanhando.

MISTÉRIOS DA DOR: 1. A agonia de Jesus no Horto das Oliveiras; 2. A flagelação de Jesus; 3. A coroação de espinhos; 4. A subida ao Calvário; 5. A morte de Jesus, com Maria aos pés da Cruz.

MISTÉRIOS DA GLÓRIA: 1. A Ressurreição; 2. A Ascensão ao Céu; 3. A vinda do Espírito Santo; 4. A Assunção de Maria ao Céu; 5. A Coroação de Maria no Céu.

Os mistérios de Cristo são os de Maria, mas são também o “mistério” de todo o ser humano:
“A simples oração do Rosário marca o ritmo da vida humana” (João Paulo II)


«Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve!»


À semelhança deste mês de Outubro, procuremos fazer do terço do Rosário a nossa oração de todos os dias do ano, tal como a Senhora do Rosário pediu em Fátima aos pastorinhos, na aparição de 13 de Outubro: "Continuem sempre a rezar o terço todos os dias."

Amanhã - 31.º Dia do Mês do Rosário - terminamos esta nossa caminhada com a Felipa

20101017

Mariam e a Nascente das Águas

17.º Dia do Mês do Rosário

Em nome do Pai
e do Filho
e do Espírito Santo. Ámen.

«Deus, vinde em nosso auxílio. Senhor, socorrei-nos e salvai-nos.»


"Todos vós que tendes sede vinde à nascente das águas; mesmo os que não tendes dinheiro; vinde, comprai pão e comei sem pagar, vinho e leite sem pagar.
Por que gastais o vosso dinheiro naquilo que não alimenta, e o vosso salário naquilo que não pode saciar-vos?
Escutai-me e comereis excelentes manjares, deleitar-vos-eis com uma substanciosa comida." (Is. 55,1-3)


"«Maria», ou melhor «Mariam», em hebraico, decompõe-se em «Maim», «as águas» e «Ri», «emissão de vento divino», que sopra sobre a Substância cósmica, isto é, a totalidade das potencialidades e o meio receptor, representado pelas Águas primordiais, tal como ressalta dos primeiros versículos do Génises: «Um vento de Deus pairava sobre as águas.»*

A concepção de Deus encarnado, a manifestação terrestre do Verbo divino, arquétipo da Criação e Homem Universal, só podia operar-se por um processo criativo. Por isso, a Mãe de Deus encarnado enforma a presença humana da Possibilidade total da Substância cósmica, Mãe e «Matéria prima», fecundada, como as Águas primordiais, por «um vento de Deus.»

Aqui reside o «mistério da Virgem Maria» no plano do Homem-Deus. E reside também, simultaneamente, o mistério do homem caído, que deve viver, por sua conta, o «mistério da Virgem»: identificar a sua alma individual à Alma universal, para que o Espírito Santo (vento de Deus) opere na alma que participa das Águas primordiais, como no processo da Criação e da Encarnação. Esta alquimia espiritual efectua-se mediante os Sacramentos e a recitação contemplativa do Rosário, que criam na alma um estado de completa submissão, de plasticidade ontológica, em harmonia com a Virgem e as suas virtudes.

Eis o objectivo principal da dicção do Rosário. Ao longo deste exercício, a alma aplica a si própria as palavras do Anjo a Maria: identifica-se com o seio virginal para tornar-se no lugar da geração ardente do Verbo."(António Barahona, Rosas Brancas e Vermelhas)


«Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve!»


Amanhã - 18.º Dia do Mês do Rosário - reflectimos com a Felipa

________
*Trad. de «A Bíblia de Jerusalém»

20101004

Avé Maria, Cheia de Graça

4.º Dia do Mês do Rosário

Em nome do Pai
e do Filho
e do Espírito Santo. Ámen.

«Deus, vinde em nosso auxílio. Senhor, socorrei-nos e salvai-nos.»



«Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre» (Lc.1,42).

"Este louvor é mais para Deus do que para Maria: Tu és bendita, porque é bendito o fruto do teu ventre; e é neste fruto e por este fruto que Te vem de Deus a bênção e o seres bendita entre todas as mulheres. E assim o entendeu e cantou a Virgem mãe: «A minha alma glorifica o Senhor, e o meu espírito exulta em Deus, meu Salvador. Porque olhou para a humilde condição da Sua serva. De facto, desde agora todas as gerações me hão-de chamar ditosa, porque grandes coisas fez em mim o Omnipotente. É Santo o Seu nome; e a Sua misericórdia se estende de geração em geração para aqueles que O temem» (Lc.1,46-50)." (Irmã Lúcia, Apelos da Mensagem de Fátima)

"A oração rosarista mais profunda, a invocação de fé mais simples, é a dicção do «nome que tudo resume e que o Filho de Deus recebeu na sua Encarnação: JESUS.»*
O Rosário constitui uma oração peculiar, que se define pela repetição rítmica do Nome divino por si só ou numa fórmula em que se enquadra, e pela sua consequente meditação.
Na dicção do Rosário, o Nome divino invoca-se de duas maneiras, no «Pai Nosso» e na «Avé Maria». No «Pai Nosso» a fórmula é: «santificado seja o vosso nome»; na «Avé Maria» a fórmula é a primeira parte e o Nome é o de «Jesus»." (António Barahona, Rosas Brancas e Vermelhas)

«Ave Maria, cheia de graça,
o Senhor é convosco.
Bendita sois vós entre as mulheres,
e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus.»


Esta é uma Caminhada de Oração e Reflexão em Grupo.

Amanhã - 5.º Dia do Mês do Rosário - a reflexão é da
Felipa
«Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve!»

__________
*Catecismo da Igreja Católica, pág. 561